Pular para o conteúdo principal

Palavra do Reitor

Cristo vive e está no meio de nós!

Caríssimos,

Estamos na Oitava da Páscoa, e eu não poderia deixar passar em branco um período tão importante, não apenas pelo que esta festa representa para uma instituição católica, mas pela mensagem que ela traz para os tempos turbulentos, angustiantes e conflituosos que vivenciamos no Brasil e no mundo.

A presença viva do ressuscitado na vida dos discípulos, temerosos e refugiados na Galileia, depois da crucifixão do mestre, fez com que eles compreendessem que o modo de vida ensinado por Ele foi mais forte do que a morte. Essa é a razão que os fez vencer o medo, a dispersão e a desesperança e retornar a Jerusalém para anunciar o evento da Ressurreição.

A Páscoa é, pois, tempo de esperança contra toda desesperança, contra toda a imobilidade que nos torna passivos diante da maldade! O Papa Francisco nos lembrou que, "nós, cristãos, acreditamos e sabemos que a ressurreição de Cristo é a esperança que não decepciona", e que os ensinamentos do mestre são caminho de vida e verdade.

Veracidade que vivifica, eis do que mais precisamos neste Brasil. Se houvesse veracidade, não haveria maus eleitores, não haveria o “voto inconsciente”. Afinal, a veracidade é revelada no confronto entre palavra e ato. Jesus não decepciona porque nele não há contradição entre gesto e fala. Prestemos, pois, atenção nas falas e nos gestos daqueles que tudo fazem para permanecer a qualquer custo no poder, não se importando com suas recorrentes contradições. Jesus ensinou uma forma de governo (Reino de Deus) que não compactua com a conduta daqueles que lideram sobre as bases da mentira e da opressão.

Mas como ter esperança se nós, que os criticamos, não estamos dispostos a mudar nossas próprias condutas, se continuamos fechados em nossos esquemas, que não permitem a revisão dos valores e do modo individualista em que vivemos? Como ter esperança de que um mundo melhor é possível se achamos que quem tem de mudar são os outros? O fiel seguidor de Jesus aprende com seus erros e se esforça para não mais repeti-los. É o que fará Pedro depois de ter negado o mestre três vezes na noite que antecedeu sua paixão.

Tempo de Páscoa é, pois, tempo de renovação, de recolocar as bases de uma sociedade mais justa e fraterna, de orientarmo-nos a partir de novas perspectivas. É tempo de retomar o compromisso com a educação e a conscientização dos mais pobres, os mais lesados pela desfaçatez e cinismo daquele que nos governa.

Contra essa forma de governo, sintamo-nos comprometidos com o modo de conduzir e se conduzir de Jesus. Façamos disso nossos votos de Feliz Páscoa e saibamos ir além de uma simples troca de mensagens, reproduzidas indistintamente e displicentemente em nossas redes sociais! Aprendamos efetivamente o que significa dizer: “Cristo vive e está no meio de nós!”

Feliz Páscoa a todos!

São Paulo, 02/04/2018

Reitor

Prof. Dr. Pe. Edelcio Ottaviani

Reitor do Centro Universitário Assunção - UNIFAI