Gerundismo
Olá, caríssimos!

      Eu estava vindo para a faculdade e estava pensando no que eu poderia estar escrevendo para o Cantinho. Foi fácil decidir: no metrô eu estava escutando uma conversa em que uma menina estava falando sobre como o seu namorado está aprendendo a falar inglês.

      Como essa experiência foi enlouquecedora, eu vou estar falando para vocês que vão estar aprendendo por estarem lendo o que eu vou estar escrevendo e vocês estarem ensinando aos seus amigos que não é para eles estarem fazendo isso, porque é horrível estar repetindo a cada três palavras esse danado desse Gerúndio!! Isso é Gerundismo!!!

Quem inventou isso, hein?

      Tudo indica que vem do inglês. Se eu fosse traduzir “Soon we are going to see de King” do jeitinho que está escrito, ficaria: “Breve nós estaremos indo ver o Rei”. Faz sentido...mas em inglês!

Isso se tornou um costume, uma mania, um vício – não sei bem.

      O Gerúndio é conhecido como forma nominal do verbo, juntamente com o Particípio (verbos terminados em ADO, EDO e IDO) e com o Infinitivo (AR, ER, IR e OR) que indica ação em curso ou simultânea a outra. Mas ele não vem sozinho. Vem sempre com verbos auxiliares. Os mais usados são os verbos Ir e Estar.

      Gerundismo é esse uso excessivo do Gerúndio. E também tenho notado que o uso dele está diretamente ligado à intenção de dar um tom mais formal à conversa. Muito pelo contrário. Falando da forma mais comum fica bem mais bonito.

Corrijamos, então:

      Em vez de “Vou estar passando a ligação para você estar falando com o gerente”, diz-se “Passarei a ligação para você falar com o gerente”.

      No lugar de “Vou estar imprimindo o trabalho”, fala-se “Imprimirei o trabalho”.

      Substitui-se “Vou estar enviando o e-mail para você estar preenchendo o requerimento” por “Enviarei o e-mail a você para que preencha o requerimento”.

      É mais simples. E, convenhamos, chique mesmo é falar o português, essa língua linda e amada, corretamente. Sem sacrifícios!

DICA DO DIA: Sobre o verbo Chegar.

Errada: “Você ainda não tinha chego em casa.”
Correta: “Você ainda não tinha chegado em casa.”
Chego só se usa no presente do indicativo. Por exemplo: “Eu chego cedo ao culto aos domingos”, “Eu chego tarde da faculdade”. Apenas. Para representar passado, é ‘chegado’ mesmo. Esse assunto será melhor esclarecido numa próxima oportunidade.

Abraços porretas,

Letícia França Rodrigues
Aluna do 2º Semestre de Direito Vila Mariana - Noturno.