POR UMA FORMAÇÃO REFLEXIVA DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA

Clézio Santos
Professor do curso de Geografia do UNIFAI

      A formação inicial reflexiva do professor de Geografia deve preocupar-se com a interpretação do espaço geográfico, na relação entre a escala local e a global, contextualizando os conteúdos de maneira que supere a análise fragmentada e superficial do espaço.

      Devemos investir na busca de uma teoria mais abrangente para se pensar a formação profissional evitando a estabilização dos educadores em visões reducionistas e considerando a reflexão constante de um saber-fazer, saber-agir, tendo como suporte a atividade de aprender a profissão.

     A melhoria da educação, em especial, o ensino de Geografia deve ter como objetivo propiciar ao aluno da educação básica, a alfabetização geográfica, e, posteriormente, a análise, reflexão e crítica do espaço geográfico. Os educandos devem compreender os conceitos geográficos, valorizando-os, assim como o profissional da educação. E para isso, a formação inicial reflexiva do professor é de fundamental importância.

      Existe um grande abismo entre a formação do professor e sua prática. O currículo de formação do professor pode ser chamado de científico, mas não o prepara para o chamado currículo escolar, os conteúdos de atuação na escola. Esses fatos estão claros nos cursos de licenciatura em Geografia e na análise da prática docente cotidiana.

      As questões de caráter teórico, os estudos das várias formas de pensar e de ensinar ficam relegados a um segundo plano, levando a crença de que existe uma dicotomia entre o cidadão, o pesquisador e o professor. Ao cidadão, cabe vivenciar as mudanças sociais, políticas e econômicas; ao pesquisador, elaborar o conhecimento científico, e, ao professor, repetir, junto aos alunos, as elaborações teóricas, previamente construídas sem um aprofundamento nas questões referentes ao método.

      As categorias geográficas de lugar, paisagem, espaço, território, bem como a observação, a descrição e a análise dos mesmos, devem ser ensinados tendo em vista que essa ciência permite compreender a dinâmica do espaço social contemporâneo, qualquer que seja a escala da análise. Dessa maneira, as reflexões atinentes ao processo educacional, e, em especial, ao papel da Geografia, proporcionam uma melhoria da qualidade do ensino, essenciais para a construção da cidadania plena na sociedade brasileira.
 

      Assim, mudanças significativas na formação inicial, nos programas de ensino, nas políticas educacionais poderão levar a uma nova imagem desse profissional, e da importância da Geografia para uma leitura e interpretação crítica do mundo, ou seja, um novo posicionamento do professor de Geografia. Isso acarretará em grandes mudanças na sala de aula de Geografia.